Dani Zulu
Percussionista, professora de percussão/percussão corporal e pesquisadora dos ritmos e danças da cultura tradicional do Brasil.
Criou e atua como diretora musical no Projeto Guarará, é integrante do grupo de percussão corporal Barbatuques e da Cia. Cabelo de Maria.
Faz a preparação rítmica de grupos de teatro, música e contadores de histórias.
Ministra aulas em grupo e oficinas que trabalham a relação do corpo/instrumento e para isso, aperfeiçoa seus conhecimentos de consciência corporal/postural no "Curso de Formação de Professores em Eutonia”, Pedagogia-Terapêutica-Corporal (www.eutonia.org.br).
Site: danizulublog.blogspot.com.br
Contato: danifzulu@gmail.com

Filpo Ribeiro
Filpo Ribeiro estudou Violão Popular e Teoria Musical na Universidade Livre de Música (atual Centro de Música Tom Jobim), e Percepção Musical na ECA (Escola de Comunicações e Artes) através dos cursos de extensão oferecidos pela USP. Atualmente cursa Bacharelado em Violão Popular na Faculdade de Artes Alcântara Machado (FAAM). Realiza diversos trabalhos com Viola Caipira, Rabeca e Violão. Na área de cultura popular atua com os Jovens Fandangueiros do Itacuruçá, da Ilha do Cardoso, apresentando as tradições do Fandango Caiçara da região de Cananéia. Durante dois anos trabalhou junto ao grupo Paranapanema pesquisando e executando repertório baseado no samba paulista, congadas e batuques de umbigada. Com o grupo Guarará participou do projeto “Guarará é Batido com a Mão!”, aprovado pelo PAC (Programa de Ação Cultural) da Secretaria de Estado da Cultura. O projeto circulou por seis cidades do litoral e interior o Estado, realizando shows e oficinas com os grupos tradicionais locais. O grupo ainda foi contemplado no programa Petrobrás Cultural 2008/2009 realizando gravações de músicas inéditas e autorais.
É integrante e fundador do grupo Pé de Mulambo, cujo trabalho reúne composições próprias e temas tradicionais relacionados ao universo da Rabeca Brasileira e da Viola Caipira.
Acompanha em shows e gravações o cantor e compositor capixaba Jonathan Silva e a banda Maria Preá, gravando respectivamente os discos “Benedito” e “Avesso”, o último com a direção musical de André Magalhães do grupo A Barca. Em 2008 participou do terceiro CD da banda pernambucana Comadre Fulozinha e gravou o CD “O Alumioso” do violonista, violoncelista e rabequeiro Di Freitas (Juazeiro do Norte/CE), sob direção musical de Lincoln Antônio.
Apresentou seu trabalho solo “Vazante” nos teatros do Sesi do interior e grande São Paulo através do projeto “Teatro Popular do Sesi” e participou do “Instrumental Sesc Brasil” com o músico Di Freitas.
Site: www.myspace.com/filporibeiro
Contato: filpo_ribeiro@yahoo.com.br

Carlos Zimbher
Cantor, compositor, produtor cultural, criador de trilhas para teatro e preparador vocal, iniciou sua carreira em Brasília, onde nasceu. Em 1997, fixou residência em São Paulo, onde lançou “Diverso” (1998-Elo Music), “Coração Contemporâneo” (2004-Elo Music) e “zimbher e o’zunido” (2008-Selo Cooperativa).
Em 2009 realizou turnê pela Dinamarca com o coletivo Wazzabi, grupo que lançou em abril de 2010 o disco "WAZZABINING", disponível na internet no link soundcloud.com/wazzabi/sets/wazzabining/s-lPA2B). Este trabalho conta com três músicas de autoria de Zimbher.
Em 2010, além de continuar a divulgação do CD "zimbher e o'zunido" com a banda de mesmo nome, o artista lançou três novos trabalhos musicais: PANELADA, coletivo de compositores formado por Zimbher, Meno Del Picchia e Emerson Boy; E/OU, duo de piano e voz, formado por Zimbher e pelo pianista Pedro Gonza, que conta também com a Assessoria Artística do DJ e Pesquisador Musical Tutu Moraes e ZIMBHER TRIO.
ZIMBHER TRIO, formado por Zimbher na voz e no violão, Guilherme Kastrup - bateria, percussão e samplers e Fernando Trz - teclados, programação, baixo e violão, traz canções que vão formar o repertório do próximo trabalho fonográfico de Zimbher, com previsão de lançamento para o primeiro trimestre de 2011. A sonoridade visa explorar os ritmos latinos, partindo do Brasil, com samba, xote, baião, guarânia e choro, e passando pela salsa, o tango, a milonga, o flamenco, tudo isso mixado com doses generosas de sons sintetizados, loops e programação eletrônica de modo geral. A temática das canções tem uma pegada urbana, com músicas que evocam ora o cronista, ora o flaneur, ora a leveza, ora a estranheza da vida.
Em sua carreira, Zimbher já esteve, em discos e shows, ao lado de nomes como Itamar Assumpção, Arrigo Barnabé, Tetê Espíndola, Alzira E, Eduardo Dusek, Mestre Ambrósio, Ná Ozzetti, Maurício Pereira, Vange Milliet, Ceumar, Cérebro Eletrônico, Gero Camilo, duo Ana Luiza e Luis Felipe Gama, Kiko Dinucci, Tulipa Ruiz, Karina Buhr e Ortinho, além dos instrumentistas Gigante Brasil, Boccato, Toninho Ferraguti, Simone Sou e Paulo Lepetit e banda Isca de Polícia, dentre outros.
Sites: www.myspace.com/zimbher
Contato: contato@zimbher.com.br e contato@calangogaroa.com.br

Gustavo Souza
É baterista desde 1987. Começou seus estudos na escola Clam (escola de música do Zimbo Trio) e posteriormente estudou na Universidade Livre de Música (ULM).
Também estudou bateria com o professor Eder O ' Rocha (integrante do grupo Mestre Ambrósio) na escola de percussão e bateria Prego Batido. Vivenciou workshops de bateristas como Rod Morganstein, Dave Wackel, Eduardo Nazário, Airto Moreira, Carlos Bala entre outros.
Atuou com bandas e artistas como Kalimba, As Madamas , Groove Brothers , Os Terráqueos, Na Roda, Juliana Khel, Leo Cavalcanti entre outras. Fez parte da banda de apoio da premiação do VMB 2005.
Participou de projetos musicais com artistas do cenário nacional como: Zélia Duncan, Arnaldo Antunes, Luiz Melodia, Jorge Maltner, Alaide Costa, Elza Soares, Zé Miguel Visnik, Verônica Ferriane, Ataulfo Alves Junior, Zezé Motta enrte outros.
Foi integrante da banda de apoio “Os Wilsons “ dos programas “Circo do Edgard” e “Edgard no Ar”.
Atualmente toca com Cérebro Eletrônico (indicado na categoria MPB no VMB 2009), Jumbo Elektro, Maria Alcina, Maria Prea, Zimbher ' & zunido, Balacabala, André Bedure e Elaine Guimarães, Kleber Albuquerque & mini orquestra de polka punk, Cid Campos, Ortinho, Dr. Morris & os vivos entre outros.
Site: www.myspace.com/gustavosouza73
Contato: gustasouza@yahoo.com.br


Cris Glória
Cris Glória é paulistana. Iniciou seu envolvimento com a música aos 7 anos estudando piano classico e flauta doce. Professora especializada em Pedagogia Waldorf, foi professora de classe , musicalização infantil e flauta doce.
Em 1999 se apaixona pela cultura popular brasileira e integra o grupo ABAÇAI BALLET FOLCLÓRICO DE SÃO PAULO, e posteriormente os grupos BAQUE BOLADO e ZABANDÁ como percussionsta e cantora, onde pesquisou música “de raiz”. Atuou em peças teatrais com o grupo O TEATRO DE AREIA em ANDANÇAS DE UMA LAGARTIXA e HISTORIAS DO CONGO CAPIXABA com o grupo ZABANDÁ.
Morou em Toronto-Canadá entre 2004 e 2010, onde ministrou workshops para adultos e crianças sobre músicas da cultura tradicional brasileira . Foi líder da banda de congo capixaba CAIANA e integrante dos grupos “Nunca Antes “ , “Aline Morales Band ”e “Baque de Bamba"como cantora e percussionista, apresentando-se em inúmeros festivais pela província de Ontário.
Participou da gravação de alguns cds como AGÔ - CANTOS SAGRADOS DO BRASIL E CUBA pelo selo Sambatá, CANTOS DO NOSSO CHÃO pelo selo Núcleo Contemporânea, MARACATU NUNCA ANTES e BEAT MIGRATION – MIGRAÇÃO DA PISADA em Toronto-Canadá.
De volta ao Brasil desde março de 2010, integra agora o Guarará , ministra aulas de musicalização infantil e é estudante de Pedagogia.

Site: www.myspace.com/crisgloria
Contato: cryssgloria@hotmail.com

Rafaella Nepomuceno
Artista Plástica, Bacharel pela UnB, Brasília, cidade onde nasceu e viveu até 2005. Percussionista e cantora popular de formação autodidata, acostumada as rodas de música desde a infância. Influenciada pelas manifestações populares, principalmente o coco de roda. Objeto de seu projeto de formação na UnB, onde uniu os passos da dança do coco de roda, as tintas. Entre 1999 e 2005, participou dos Grupos Calango Alado e Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro, ambos influenciados pelo cavalo Marinho e os Maracatus de Recife. Por dois anos, ainda em Brasília, foi vocalista e percussionista da Banda Há-ono. Vive em São Paulo desde 2006 onde atualmente é percussionista e vocalista do Grupo Prego Batido, resultado do trabalho de pesquisa sobre ritmos e danças brasileiras em conjunto com Eder "O" Rocha.
Contato: rafanepo@hotmail.com
Site: http://www.pregobatido.com