Guarará é batido com a mão!

Em 2007, as Pesquisadoras de Cultura Popular Brasileira Dani Zulu e Adriane Rivero resolveram criar um núcleo de pesquisa e prática musical, a partir de suas experiências com o Congo do Espírito Santo, ritmo bastante significativo do patrimônio imaterial nacional.  Além do já citado Congo, ritmos como samba de roda, fandango, congada, dentre outros, também fazem parte do repertório.

Para tanto, arregimentaram músicos de variadas tendências para realizar esta proposta, agregando também elementos trazidos pelos demais integrantes do grupo, que transitam por experiências tão díspares quanto o pop rock (Gustavo Souza é integrante de bandas como Cérebro Eletrônico, Jumbo Elektro, Maria Preá. Carlos Zimbher explora em seu trabalho solo ritmos como o rock, o reggae, rítmos latinos e o samba) o forró e o fandango (Filpo Ribeiro faz parte do trio de forro Pé de Mulambo e do grupo Jovens Fandangueiros de Itacuruçá). Já Cris Glória traz sua experiência vivida no Abaçaí, Baque Bolado e Zabandá. Dani Zulu também agrega à proposta sua atuação no grupo Barbatuques, que possui uma pesquisa importantíssima na área de percussão corporal e Rafa Nepomuceno, acostumada às rodas de música desde a infância, traz também sua experiência como artista plástica.

Ainda que não se busque aqui fazer releituras exóticas de ritmos regionais, naturalmente os arranjos feitos por seus integrantes adquirem sotaque incomum, gerando acréscimos respeitosos a já tão criativa cultura popular brasileira. Para sedimentar a proposta de banhar sua musicalidade nas águas da cultura popular, o coletivo buscou também trocas musicais com grupos tradicionais de São Paulo: vivência/ensaio e show conjunto com os grupos “Caiçaras de Acaraú e Grupo de Dança Vida Feliz” (tocadores de fandango de Cananéia), Congada de São Benedito” (um dos grupos mais importantes de Congada do Estado de São Paulo, sediado em Cotia), “Os Favoritos da Catira” (famoso por atualizar a prática desse ritmo em Guarulhos) , Samba da Tia Aurora (grupo de Samba Rural do interior de São Paulo, precursor do samba paulista, sediado em Vinhedo), Índios Guarani da Aldeia Rio Silveira (grupo de crianças e adolescentes mantidos na aldeia Guarani sediada em São Sebastião) e Terno de Congo de Sainha Irmãos Paiva (Manifestação do Congo de Sainha, sediada na cidade de Santo Antônio da Alegria).

Essa vivência possibilitou aos grupos convidados o contato com outros artistas, reafirmando sua importância cultural e sedimentando-lhes a noção de autoestima. Por outro lado, para os integrantes do “Projeto Guarará”, tal vivência foi a oportunidade de aprender com os mestres e integrantes desses importantes representantes da cultura popular.

Dando continuidade aos processos de pesquisa e composição de um repertório autoral, o “Projeto Guararᔠformatou o projeto “Balanceia on line”, contemplado no Programa Petrobrás Cultural, prêmio que possibilitou ao grupo a gravação de 5 músicas inéditas (uma delas com a participação do grupo Terno de Congo de Sainha Irmãos Paiva), um show em praça pública, realizado em 17.10.2010 e a construção de um site do projeto.

A idéia do grupo é caminhar para a gravação de seu primeiro CD com as músicas e experiências acumuladas nesses anos de existência, realizar shows e oficinas de arte educação através da linguagem musical.








Foi assim que tudo começou.....

Por Adriane Rivero


Pensar e agora escrever este ensaio me faz relembrar tantas coisas bacanas que aconteceram nesses últimos anos e em especial, no Projeto Guarará.

Um dia eu estava triste, triste. Liguei pra Dani e disse minha amiga, tenho sentido muita falta da gente batucar juntas, sentido falta de pé descalço no terreiro, de cheiro de terra, de colorido das saias rodadas, de tambor e de fogueira.

Achava que meu lamento ia ficar por aí. Mas não ficou; ela não deixou.

Me chamou pra ir lá (na casa dela) e a gente começou assim, meio como quem não queria nada (mas no fundo, queria tudo), a batucar juntas, a cantar e a rir... Por coincidência, ela tinha umas composições, eu outras. Juntamos as pedrinhas. E elas rolaram... Rolaram e foram bater na porta de pessoas muito queridas e especiais: Karina Buhr, Gustavo Souza, Filpo Ribeiro e Carlos Zimbher.

E de sonho em sonho, fomos acordando e voando pra outras bandas.

Fomos pro estúdio do Beto, que comprou a idéia. Veio o PAC, pegamos a estrada num projeto ousado e maravilhoso de fazer - o “Guarará é Batido Com a Mão”, e fomos tocar com figuras da cultura tradicional do nosso país. Queríamos crescer, queríamos brincar, queríamos trocar nossa musicalidade. A verdadeira admiração e o fascínio por aquele jeito de tocar despojadamente, no meio da rua, no quintal, na porta da igreja foi nos impulsionando... Festa! Sim, fomos em busca dela.

E hoje, cá estamos. Eu, um pouquinho de corpo ausente, mas não menos do que de coração bem presente. Cris, que já tocava com a gente, “veio do norte virei, veio do norte virᔠe entrou pra turma.

E a gente quer mais, e convida você a vir junto. Seja bem vindo, esteja à vontade, entre na festa e vamos Guarará!


Adriane Rivero - Nascida em São Paulo, SP, é artista plástica e musicista, formada pela Faculdade Santa Marcelina. Começou sua carreira como dançarina, na Companhia de Dança Jaime Arôxa, Rio de Janeiro, no ano de 1990. Viaja a Buenos Aires, Argentina, apresentando-se com a Companhia.

Como musicista, foi fundadora do grupo Zabandá e atualmente fundou, junto com Dani Zulu, o Guarará. Pesquisa ritmos de tradições populares do nosso país. Foi percussionista no Coral da USP, criou a Banda Massa e tocou no Red Eye Virious, ambas em Toronto, Canadá. Participou dos CD’s “CoralUsp”, “Olha a Chuva Pessoal, Tira a Roupa do Varal”, com crianças da Creche da Fundação Fé e Alegria e “Jane Santos” , da Por do Som. Como artista plástica, duas exposições internacionais, ambas no ano de 2005: uma na Galerie Art Present, em Paris e outra, no festival BrasilNoAr, em Barcelona, Recebe prêmio Aquisitivo no 27o SARP Salão Nacional de Arte de Ribeirão Preto, SP, em 2002. Atualmente estuda medicina.

Site: www.acupunturaearte.blogspot.com
Contato:
apitta80@yahoo.com















Ouça as músicas do Projeto Guarará no player abaixo:
Para visualizar o player acima você precisa ter o Flashplayer instalado, caso não tenha clique aqui para baixar

FICHA TÉCNICA DAS MÚSICAS

Vou pra Ribeirinha (Dani Zulu) 3:39

Adriane Rivero: casaca e voz
Carlos Zimbher: voz
Cris Glória: tambor de congo, ganzá,
casaca, sino e voz
Dani Zulu: tambor de congo, triângulo e voz
Filpo Ribeiro: viola caipira
Gustavo Souza: pia, coifa, reco-reco de mola,
ganzá e voz

Samba o Congo (Dani Zulu e Adriane Rivero) 4:08

Adriane Rivero: tambor de congo, cacos e voz
Carlos Zimbher: palmas, cacos e voz
Cris Glória: ganzá, palmas, caixa, cacos e voz
Dani Zulu: tambor de congo, atabaque, palmas,
cacos e voz
Filpo Ribeiro: pífano, palmas, cacos e voz
Gustavo Souza: casaca, atabaque, surdo, palmas,
cacos e voz

Rosalina Menina (Dani Zulu) 2:30

Adriane Rivero: tambor de congo, apito,
tambor onça, casaca e voz
Carlos Zimbher: voz
Dani Zulu: tambor de congo , casaca e voz
Filpo Ribeiro: rabeca, casaca e voz
Gustavo Souza: casaca e voz
Karina Buhr: voz

Passarinho do Monte (Dani Zulu) 4:29

Carlos Zimbher: vocalize
Cris Glória: alfaia e vocalize
Dani Zulu: caixa do divino, caxixis, voz e vocalize
Filpo Ribeiro: marimbau
Gustavo Souza: agogô, voz e vocalize

Iê Mar (Dani Zulu) 3:38

Adriane Rivero: ganzá, voz, coro e cacos.
Beto Mendonça: berimbau
Carlos Zimbher: coro
Dani Zulu: alfaia, tamborim, atabaque, berimbau,
coro e voz
Gustavo Souza: chapa de fogão agogô e coro
Karina Buhr: ilú, coro e voz

Colibri (Le Momo Sonic) 2:48

Tambor e Apito (citação) - Dani Zulu
Ladainha: Vozinha das Águas – Dani Zulu e
Adriane Rivero
Adriane Rivero: tambor de congo, apito, ladainha,
casaca, cacos (bichos, blablação e chuva) e voz
Carlos Zimbher: voz
Dani Zulu: tambor de congo, caixa, casaca, cacos
(bichos, blablação e chuva) e voz
Filpo Ribeiro: marimbau, rabeca, casaca, cacos (bichos,
blablação e chuva) e voz
Gustavo Souza: ganzá, casaca, cacos (bichos, blablação
e chuva) e voz
Le Momo: guitarra, baixo, voz em francês e
programação: índios

Caranguejo (Adriane Rivero e Jonathan Silva) 3:39

Adriane Rivero: tambor de congo, tambor onça, casaca,
cacos e voz
Carlos Zimbher: cacos e voz
Dani Zulu: tambor de congo, casaca, cacos e voz
Filpo Ribeiro: rabeca, casaca, cacos e voz
Gustavo Souza: casaca, cacos e voz
Karina Buhr: cacos e voz

Canto da Lavadeira (Dani Zulu) 3:24

Adriane Rivero: voz, cacos e palmas
Carlos Zimbher: voz, cacos e palmas
Cris Glória: ganzá, voz, cacos e palmas
Dani Zulu: atabaque, prato, voz, cacos e palmas
Filpo Ribeiro: bandolin, voz, cacos e palmas
Gustavo Souza: atabaque, agogô, voz,
cacos e palmas

Saudade da Estrela Mãe (Dani Zulu) 3:53

Dani Zulu: coro
Filpo Ribeiro: viola caipira
Terno de Congo de Sainha Irmãos Paiva: vozes,
caixas, tambores, pandeiro, tamborim,
sanfona e violão

* Para baixar as músicas separadamente clique com o botão direito sobre o título das músicas e escolha a opção "salvar destino como", ou baixe o pack zipado com todas as músicas + ficha técnica + ilustrações por Adriane Rivero no link abaixo:

Pack Guarará.zip